quarta-feira, 29 de junho de 2011

Lágrimas


De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinícius de Moraes – Soneto de Separação

Esse desenho foi feito à caneta mesmo, ontem, numa entediante aula de Geografia.
Sempre tive o costume de desenhar durante as aulas, em mesas, carteiras, apostilas, cadernos, mas quando
a aula é ruim, o desenho chora, ou melhor, eu choro em desenho.

5 comentários:

  1. Maninha adorei essa foto ficou muito bonita,essa é a melhor de todas que já vi... Espero que você continue fazendo esses desenhos maravilhosos que só você sabe fazer ta te adoro muito minha artista
    ass:talita

    ResponderExcluir
  2. Lindo soneto e linda imagem Juliana!
    Parabéns por esse dom fantástico que possui!

    Um beijo em sue coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  3. Muitooooooo lindoooooo esse Jú...ameiiiiiii!!!!!!!

    beijos flor talentosa

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo este desenho!! Seu dom merece destaque, principalmente, quando consegues transformar um momento chato, tedioso, em um desenho expressivo e de destaque!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  5. Na verdade Paulo, os melhores desenhos são aqueles que expressam os mais profundos, íntimos e subjetivos sentimentos que carrego.

    Obg :D

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim, não esqueça de assinar! Responderei em breve :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...